Conforme nossa Política LGPD, os dados aqui tratados serão disponibilizados de acordo com a regulação dos procedimentos preliminares e contratuais, bem como com base na outorga do consentimento. Você deverá concordar com os termos da presente aplicação, estando plenamente ciente da criticidade dos dados aqui envolvidos, bem como quais são as suas responsabilidades na qualidade de cliente titular.
Veja a seguir algumas informações relevantes para a sua empresa.

Revisão da vida toda deve ser decidida neste próximo mês de agosto


Em breve, finalmente deve ser decidido a respeito da constitucionalidade da revisão da vida toda, proposta na qual solicita a inclusão das contribuições previdenciárias realizadas no período anterior a julho de 1994. Isto porque, mediante uma reforma, só são considerados os recolhimentos feitos após esse período, o que por sua vez diminui o valor da aposentadoria de alguns segurados. 

No atual momento a também chamada de revisão da vida inteira, está com a decisão referente a sua constitucionalidade empatada, de modo que possui 5 votos a favor e 5 contra. O processo, atualmente, está suspenso e deve retomar após o recesso do STF (Supremo Tribunal Federal). 

Neste sentido, a decisão deve ocorrer agora em agosto, visto que o pedido do ministro Alexandre de Moraes que suspende o julgamento e o recesso do STF chegam ao seu fim. Em outras palavras, tudo indica que a revisão terá uma decisão nos próximos dias. 

No que diz respeito ao atual empate na votação, durante o julgamento qualquer ministro pode alterar o seu voto, todavia, até o momento o processo segue com esse parecer prévio:

Ministros a favor da revisão 

  • Marco Aurélio; 
  • Edson Fachin;
  • Cármen Lúcia; 
  • Rosa Weber; 
  • Ricardo Lewandowski.

Ministros em divergência a revisão

  • Nunes Marques; 
  • Dias Toffoli; 
  • Roberto Barroso; 
  • Gilmar Mendes;  
  • Luiz Fux;

Lembrando que não são todos que se beneficiam com a revisão da vida toda, dado que por vezes a correção irá abaixar o valor da aposentadoria do segurado. Assim sendo, é preciso entender que, em resumo, existem três tipos de perfis os quais serão beneficiados. 

Neste sentido, segurados que realizaram poucos recolhimentos após 1994; quem recebia uma alta remuneração bem antes de 1994; e aqueles com baixos salários após 1994; poderão ser beneficiados com a revisão. 

Assim sendo, aposentados que tiveram uma redução no valor de seus benefícios, devido ao sistema de transição, podem possuir um novo cálculo mediante a inclusão de suas contribuições feitas, o que por sua vez, pode aumentar o valor da aposentadoria. 

Fonte: JornalContábil | 29/07/2021